É aos poucos…

Crescer dói. Abrir mão de velhas crenças, questionar certos valores, olhar para você com franqueza e verdade… dói muito. Dói crescer, dói aceitar quem eu sou, dói aceitar a minha vida, dói assumir a total responsabilidade de quem eu me tornei e dói abrir mão das velhas historinhas que vivemos contando para nós mesmos, afim de justificar o nosso vitimismo e insignificância diante de um Universo tão vasto e poderoso. … Mais É aos poucos…

A bailarina

Que nada nos roube a esperança de acreditar em nós, em nossos sonhos, em uma Vida mais leve e singela atrás dos bastidores, fazendo o que gosta e sem grandes motivos. Que nada nos roube a simplicidade do olhar que carregamos ao ver o mundo ao nosso redor com nossos próprios olhos. Que nada nos roube a fé e o amor pela jornada que decidimos caminhar, mesmo que ninguém entenda o nosso caminho e as nossas decisões. … Mais A bailarina