A bailarina

Foto: Rose Petals by Pinterest

*COLOQUE O FONE DE OUVIDO: ÁUDIO DO TEXTO NO FINAL

Olhe bem, você consegue ver aquela cidade a nossa frente? Ela um dia já foi muito bela e alegre, agora está deserta e abandonada por muitos anos.

Venha! Olhe novamente! Logo ali, aquele pátio, daquela construção em ruínas…

A bailarina dançava na escuridão…

Liberdade…

Onde está o meu coração? Não o sinto.

Então dança, como se estivesse procurando motivação.

Ela não se preocupava em sujar as sapatilhas nas poças de água e lama.

A aquela pequena bailarina dançava um ritual para algum deus… ao Deus Desconhecido.

A lua apareceu e iluminava aquele palco improvisado…

Ela não ouvia as batidas de seu coração. Ela estava sozinha…

A leveza de seus rodopios, seus gestos delicados e o contraste de seu vestido branco em relação aquele lugar tão inóspito em tons de cinza, marrom e preto. Cenas de um filme antigo…

Qual seria a canção? Não havia canção. Ela dançava nas batidas do seu coração, mesmo sem ouvi-lo. Mas onde estava o seu coração?

Ouço passos lentos e relutantes que vem de um corredor escuro. Aproxima-se um senhor de paletó roxo que lembra um cientista velho, frio e seco, mas ao olhar bem para ele, ela vê um jovem homem forte, porém não consegue ver o seu rosto.

Ele inicia a conversa sem olhar para ela. Fala pausadamente. Sujeito estranho. Parece nervoso com a aproximação. Ele diz, “analisamos a sua escrita e é muito incomum”. Em seguida fez um discurso técnico, cheio de descrições científicas, objetivas e surpreendentes. As evidências brilhavam em suas mãos. Ele olhou para ela e sorriu com olhos de admiração. Uma bela melodia começa a ser tocada. Ambos se espantam.

Ouço o som de uma canção”, ela disse surpresa. O rosto dela se iluminou, isso significava uma coisa. Seu coração voltou a bater… ele ainda estava ali.

O que te motiva? O que te faz, fazer o que você faz? O que faz seu coração vibrar?

As roupas da bailarina se transformaram em um belo arco-íris e ela se iluminou com a claridade do lugar em que estava. Ahh, como é bom viver! Como é bom sentir a vida sorrindo para gente! Como é bom abraçar a esperança!

Que nada nos tire a coragem de seguir em frente e nem tire o nosso sorrisão no rosto, (de quem sabe o peso de seus próprios sacrifícios, fora da vista dos outros…). Que nada nos roube a esperança de acreditar em nós, em nossos sonhos, em uma Vida mais leve e singela atrás dos bastidores, fazendo o que gosta e sem grandes motivos. Que nada nos roube a simplicidade do olhar que carregamos ao ver o mundo ao nosso redor com nossos próprios olhos. Que nada nos roube a fé e o amor pela jornada que decidimos caminhar, mesmo que ninguém entenda o nosso caminho e as nossas decisões. Porque o que julgamos no outro, loucura sem propósito, ou desequilíbrio, por estar fazendo algo que acredita, pode ser um equívoco de nossa parte ou perda de valor próprio em nós mesmo.

O que vemos no outro, vemos primeiro em nós. Sim, alguns esperam o Propósito se cumprir, por outro lado, outros já são o Próprio Propósito pelo simples fato de existirem e viverem suas vidas sem desperdícios tolos e sem esperarem “o Grande Dia chegar”.

Julgamos o que não conhecemos. Julgamos a partir das nossas próprias crenças e limitações. Talvez ficaríamos surpresos ao descobrir que tudo o que o outro faz, pode ser a tábua de salvação dele e que ele é feliz sem grandes alardes, sem precisar provar nada para ninguém e sem comparações doentias. Não está no outro. Está em mim. Viva a Vida!!!

Coisa maravilhosa é se levantar depois de ter caído muitas vezes. Coisa maravilhosa é olhar para trás e ver o quanto crescemos e amadurecemos. Coisa linda de verdade é acreditar de novo em nós mesmos, depois de desacreditar tantas vezes. Que venha o Amor com toda a sua Beleza e dores também, porque tudo faz parte. Que venha tudo que é bom e nosso de direito nessa Vida. Abra as portas das possibilidades, porque você merece ser feliz e viver a sua vida do jeito que sempre sonhou viver. Você tem escolhas!

Se aparecer alguém legal no caminho, convide para partilhar seus dias, seguirem juntos e ser alegria de viver, porque só temos uma vida e ela está acontecendo agora… A porta foi aberta e Deus coloca novas expectativas em nossa Jornada. É por isso que a Vida é Bela. É por isso que desejo para todos aqueles que passaram por momentos de escuridão, falta de esperança, medo e que precisaram ficar por um tempo sozinhos para cuida-se e curar-se. É isso que desejo, uma Vida em abundância!

A vida é responsabilidade, não dá para viver de qualquer jeito e sábios são aqueles que entendem que ela é um presente único, raro e delicado que Deus colocou em nossas mãos. Flerte com as possibilidades e a convide para jantar. Faça o seu melhor, descanse, ame, valorize, sonhe e lute porque aquilo que faz o seu coração vibrar. Não aceite menos que isso. Que a gente olhe para trás e não se recinta com arrependimentos que sepultarão a nossa alegria. Você é Infinitas Possibilidades!

Que venham as surpresas de Deus para o nosso coração, pois Ele sempre nos dará um novo dia para recomeçar. Quando decidimos que chegou a hora de vivermos a nossa própria vida e nos abrimos para aquilo que vem ao nosso encontro sem medo e com toda ternura que merecemos, Deus nos dá o seu favor e deixamos “o quase viver” para “o viver de verdade” em sua totalidade.

A solidão nos faz enxergar o invisível. Viver é maravilhoso, dói muitas vezes, mas olhar para frente nos faz enxergar que sempre existirá novos recomeços, novas oportunidades… um futuro de possibilidades. É tempo de deixar o novo entrar. É tempo de abrir mão do que não cabe mais. É tempo de novos sonhos, novo amor, nova visão, novas rotas, novos desejos, novas oportunidades… É hora de prestar mais atenção a volta. Se permitir de novo. Se permitir sair da gaiola aberta e alcançar voos mais altos para lugares que nossa alma começou a enxergar. É hora de abrir a porta para que entre as coisas boas e lindas da Vida. Não interrompa seus processos, mas todos os ciclos sempre tem um começo, meio e fim. Respeite os seus processos, mas fique esperto com o fim quando ele chegar, saia para fora!

Um dia a gente compreende, nossa consciência se expande e percebemos que vivíamos prisioneiros em nossas gaiolas emocionais, permitindo sermos subjulgados com falsas boas intenções, mentiras, ilusões, ego e controle que nós alimentamos em nossa mente. Entendemos que o outro não tem poder sobre a nossa vida e nos corrigimos assumindo a total responsabilidade de nós mesmos. Um dia a gente acorda e compreende o que é prioridade. Deixamos de ser vítimas, aceitamos o que nos aconteceu, perdoamos, nos libertamos de nossa prisão e nos tornamos gratos seguindo em frente.

Prioridade é viver a vida que você sempre desejou viver. Abra a mão e veja o que realmente fica. É preciso coragem para viver e aceitar o Destino que Deus desenhou para você como filho amado.

Somente o processo pode nos levar as respostas que ninguém pode nos dar. Eu olho para dentro de mim e uma luz surge dissipando toda a escuridão do medo e libertando-me da escravidão da mente. O limite da dor, nos leva a olhar para um abismo. Assim, me sinto livre para compreender que tudo tem um propósito por meio das constantes mudanças dentro do Ser.

Não tem haver com quem está a nossa volta e nem com o lugar onde estamos. Nossa busca está dentro de nós, de forma conectada e intencional pelo Criador. Qual é a nossa missão? Qual é o nosso Propósito? Duas coisas conectadas, mas diferentes e sem respostas. Não existem certezas absolutas e sim o Caminho que se abre diante de nós a medida que caminhamos, permitindo assim grandes descobertas por meio daquilo que nada sabemos ou só compreendemos em parte. A única certeza que sei é que nada sei. A mudança é uma inconstante em movimento nessa dança louca de viver, mas profundamente belíssima.

O que a bailarina tem a dizer para nós? Se ela dança nos bastidores, ninguém vê. Mas se ela escreve, alcança a mim e a você. Por que ela não tem medo de lugares feios? Por que ela dança, se na verdade gosta de escrever? E se Vida decidiu tocar uma trilha sonora diferente para cada um de nós? Por que ficar inerte, se é mais divertido se movimentar?

É muito bom quando alguém nos enxerga quando somos invisíveis. É muito bom quando alguém reconhece o nosso valor, sem esperar nada em troca. É muito bom quando alguém fica, sabendo que pode ir para outros lugares. Mas, é maravilhoso saber que apesar de tudo, sempre existirá em nós a capacidade de transmutar a dor e que temos um livre acesso a um poder ilimitado do próprio Criador vibrando em nós em Amor, Alegria, Fé, Esperança, Abundância e Coragem. Maravilhoso é saber que apesar de tudo, sempre existirá várias saídas. Maravilhoso é saber que o amor-próprio é o elo que me permite desfrutar de quem eu sou e amar o outro em profundo sentimento de aceitação, perdão e gratidão. Maravilhoso é que apesar dos pesares, sempre poderemos começar de novo e de novo (e sempre que for preciso), pois descobrimos a que nossa verdadeira força vem nossa própria vulnerabilidade e de Deus que está em nós e nós nEle.

Olhe pátio e veja a bailarina e o homem de paletó roxo. A canção está mais alta e o sol começa a surgir clareando aquela cidade destruída que começa a se transformar em uma belíssima cidade, limpa, com lindas casas coloridas e pessoas felizes.

A bailarina sorri, o sorriso mais bonito e terno. Ela sente o Amor, ela é o próprio Amor. Ela olha para o jovem e fica em absoluto silêncio. O jovem senhor de paletó roxo finge não estar alegre por ter despertado o interesse dela e diz friamente, mas agora com um leve sorriso de canto:

Fizemos um lápis do qual se adaptará a você, mas quero sempre ler o que você escreve”.

Ela sorriu para ele e ele retribuiu o sorriso com ternura, toda frieza caiu como uma máscara e quebrou-se, mostrando o verdadeiro rosto dele. Um rosto belo e confiante, era ele mesmo com total transparência. Ela viu nele suas luzes e sombras, mas não teve medo e gostou do que viu: a Verdade. Ele coloca nas mãos da bailarina o lápis e muitas folhas em branco. Ela dá um beijo na bochecha dele que fica surpreso com o contrato selado. Enquanto ela caminhava, ele coloca a mão no seu rosto, percebe que não precisa mais usar nenhuma máscara, dá um sorriso de realização e a segue porque ele sabia que tinha encontrado o lugar dele também… E era ao lado dela.

Autora: Paula Gouveia

Áudio do Texto (Voz Paula Gouveia)

3 comentários sobre “A bailarina

  1. Descobrir o que nos motiva da um norte aos nossos recomeços 💖💖que nunca falte coragem para enfrentar os demônios que precisam ser derrotados 🙏

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s